Como Nascem os Personagens?

Uma história não existe sem personagens. Você pode conceber personagens baseados em pessoas reais, em objetos, em plantas, em uma esponja (vide Bob Esponja), etc. Mas, histórias sempre serão sobre personagens e suas aventuras. Pense um pouco sobre algum livro que você tenha lido em sua infância e que ainda está vivo em sua memória. Você se lembra da trama? Talvez um pouco. Você se lembra do início? Talvez. Você se lembra do final? Talvez. Você se lembra do personagem principal? Com certeza. E por quê? Simples: o autor conseguiu criar um personagem inesquecível. No final das contas, esta é a principal tarefa do autor, criar personagens que sejam admirados, amados, odiados ou que despertem qualquer sentimento profundo no leitor. Quer alguns exemplos? Branca de Neve, Meu Pé de Laranja Lima, Darth Vader, Dom Quixote, James Bond, Sherlock Homes, Capitú e a lista segue indefinidamente. Mas como conseguir criar um personagem assim tão cativante? Primeiro, você precisa seguir algumas regras básicas:

1. O personagem precisa ser verossímil, ou seja, o leitor precisa acreditar que ele existe. Ahh! Mas o Darth Vader não existe! E o Bob Esponja? Como pode uma esponja falar? Sim, você tem razão, mas quando você assiste ao filme Guerra nas Estrelas ou ao desenho do Bob você não tem a sensação de que eles são de verdade? Pois, é. É disso que estou falando. Para atingir este objetivo, você precisa que seu personagem tenha ações e emoções humanas, mesmo que seja uma esponja. Olhe as pessoas à sua volta, escolha uma e crie o personagem com as mesmas características e com a personalidade dela. Você também pode misturar características de várias pessoas para criar um personagem único e diferente.

2. Seu personagem deve ter um passado, mesmo que você não conte este passado para o leitor. Você precisa conhecer tudo sobre o personagem, assim você saberá exatamente como ele irá se comportar e reagir diante das mais diversas situações.

3. Seu personagem deve ser complexo e ter profundidade. Deve possuir algum trauma ou segredo que mexa com suas emoções ao longo da trama.

4. É interessante que ele tenha características únicas que possam ser identificadas facilmente pelo leitor. Exemplos: a cicatriz de Harry Porter, a máscara do Darth Vader, o uniforme do Homem Aranha, os óculos escuros do Exterminador do Futuro.

E quando estiver escrevendo uma cena em que seu personagem tenha o ponto de vista, entre na pele dele, sinta-se como ele se sente, respire como ele respira, fale como ele fala. Em outras palavras, incorpore o personagem, deixe que ele ganhe vida e escreva a cena por você. Só tome cuidado para não machucar ninguém de carne e osso se estiver escrevendo no ponto de vista de um Serial Killer!

Enviar comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Pin It on Pinterest

Share This